10/11/2015

A CULPA É DE TODOS NÓS.


A CULPA É DE TODOS NÓS. Uma presidente disléxia, mentirosa e conivente com o pior surto de corrupção institucionalizada já visto numa república, dependendo o seu afastamento por meio de ação constitucional. Justamente os responsáveis que, sentado na cadeira da presidência da Câmara e do Senado só tem uma preocupação na cabeça; salvar a própria pele neste mar de lama em que se meteram. Não é de hoje, nem nas funções que exercem que foram corruptos, - já eram bem antes -. O presidente da câmara federal guarda sua decisão sobre o impeachment da outra que está presidente da república, como um trunfo de negociação -Brasil que se ferre - para se livrar de cassação do seu mandato. Roubou até o nome de JESUS. Usava a entidade religiosa a qual faz parte para esquentar dinheiro roubado. A cunha que o Cunha tem na sua manchada biografia, nem ABRAHÃO tira. Ele errou desta vez. Enganou seus aliados retardando sua decisão, teve sua vida financeira na Suiça, exposta pelo governo, é criticado pelos parlamentares que antes o defendiam, os petistas batem e assopram num movimento cadenciado à espera de continência do mestre em falcatruas. Eles sabem que um não pode denunciar o outro e pertencem a quadrilhas diferentes, com regras diferentes, mas sabem também que a qualquer momento um JUDAS pode virar o jogo. Aí os aliados tornam-se inimigos. O outro enrolado - presidente do senado - é um velho bandido da era Collor-ida, que aprendeu com o príncipe de Alagoas que é dando que se recebe. E, com esta atitude vem arregimentando aliados de dentro da NOMEKLATURA petista para se salvar também de cassação. É regra deste e do anterior governo nomear bandidos com rabo preso como aliados em cargos decisórios. Na hora certa joga os podres deles na mesa em troca de vantagens. Sempre deu certo, mas, as atitudes de novos figurantes da esfera judicial entraram no jogo para mostrar a eles - os bandidos (as) - que a "peleja" é séria, carta marcada não vale nesta partida. Pode demorar o final da partida, só esperamos que os vencedores sejam os brasileiros que trabalham e pagam impostos. A eles, todos eles, a cadeia, e no campo espiritual o calor do inferno. Alberto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário