08/11/2012


        Dormindo com o inimigo

Ainda no feto aos três meses da gestação o indicativo do sexo reconhecido pelo médico foi você. Depois do nascimento, ainda sem saber a quem obedecer foste voluntarioso, atendeste primeiramente as necessidades da bexiga, desconheceste totalmente a supremacia cerebral a qual tu, desde o nascimento estavas submetido, não reconheceste nele, o cérebro, o teu chefe imediato, desobedeceste desde o nascimento a hierarquia das ordens de um complexo sistema criado por DEUS com a finalidade de fazer com que o mundo caminhasse sempre em ordem progressiva à continuidade da vida. Foste sempre arrogante, quantas vezes tive a vontade de fazer de ti um mero canal de despejo! Oh! Como me arrependo...
Nem me lembro de quantas vezes me foste audacioso, sempre estiveste numa posição de alerta ao menor sinal cerebral de ataque. Foste um grande soldado, motivo de orgulho de um general bátavo. Ao menor sinal da complexa paixão fulminante, estavas tu,em pé! Resoluto, inquieto pronto à invasão em territórios dantes desconhecidos e inexplorados, deslizastes por cútis úmidas e nem por isso desististes, foste um herói! Cativaste o inimigo com tua arrogância peculiar, atraíste os sentimentos e nada fizeste para conservá-los, foste um ser individualista, quando mais precisava de ti, tu estavas em repouso aproveitando do aconchego do casulo ao qual nunca saíste. Satisfeito, tu dormias... Lânguido! Tens o temperamento de um felino, só procura carinho quando tens fome.
Lembro-me perfeitamente da tua disposição em enfrentar situações embaraçosas, saía bem de todas elas, porem me deixavas sempre constrangido. Mas mesmo assim foste um grande companheiro, motivo de orgulho da minha própria existência. Olhava cabisbaixo, vendo-te sempre como um aliado em situações de total comprometimento da minha sexualidade. Da mesma forma que eu, tu te apaixonavas facilmente, eras volúvel, dissolvias ao menor calor humano. Foste sempre responsável pelas minhas conquistas, nunca reclamei! Tinha orgulho de ti! Oh! Companheiro! Grande soldado! Defendeste muito bem o estandarte da minha masculinidade, fincaste a bandeira do machismo por qualquer atalho que meu destino me levava.
Foste Alexandre, foste Ulises, foste Gengis Khan também herdastes os traços dos Cézares, fostes conquistador como Marco Antonio, incendiário como Nero, pervesso como Hitler, libertador como Lenin, poeta como Castro Alves, dormiste com as deusas do Olimpo e deixaste em vigília Cleopátra.Em teus pensamentos, foste amante de Jocasta, sonhavas com Afrodite, perdias a noção e a razão ao se defrontar com o desejo, foste sempre obediente aos comandos do pensamento. Ao menor sinal enviado a ti, agias com rapidez de uma lontra, mergulhavas nas águas do desejo com tal ímpeto que dela só saía depois do cansaço instalado nos teus nervos. Dormias cansado...
Foste sempre um incansável baluarte das paixões irresponsáveis, dos momentos loucos, que atiravas inconsequentemente no escuro sem saber o que te esperava. Foi herói, foste vilão, adoeceste, recuperaste. Incansável eras tu, que mesmo dormindo protegido, acordavas ao menor sinal da paixão repentina. O tempo passava e parecia sempre um altivo guerreiro pronto para batalha. Eras imortal, soberbo! Arrogante, impetuoso. Estavas sempre em alerta e obedecia aos comandos do cérebro. Fiel! Dedicado! Insaciável! A eternidade era o teu túmulo parecia imortal. Sempreorgulhei-me de  ti.
Tempo, este inimigo que me consome os músculos não te poupou também. Tu, que achavas que seria meu eterno orgulho, tornaste-me meu maior pesadelo, minha maior decepção. Olho-te! Que desprezo nutre hoje pela tua postura! Cabisbaixo, ficas sempre. És um membro humilhado, derrotado, não reconheces mais as ordens vindas do cérebro, têm preguiça. As paixões que dantes guiava as tuas aventuras hoje não passas de lembranças de um passado recente. Foste prematuro em demasia, mesmo quando ainda estou ativo e alerta as paixões e aventuras não conto mais contigo, só te olho. Tornaste desobediente, um membro a mais... Um membro qualquer que só atende as necessidades de um único órgão.
Tenho, tenho sim, boas lembranças do tempo que ao ver propaganda de pasta Kolinos tu te alvicerava todo. Lembra-se das propagandas de calças cinta-liga? Que vergonha eu passava de ti! Namorar então... Era preciso te prender, e que sofrimento! Uma coisa tenho eu de orgulhar de ti. Nunca mefizeste passar vergonha mas... Agora... és mais um membro inútil, na Grécia és lembrado em forma de estátua fálica. Pareces que estás sentado em uma daquelas cadeiras velhas e arcaicas da Academia brasileira de letras. Adoras Camões, Platão, Aristóteles e tantos outros. -Mas esqueceste de que Pitágoras disse:‘‘O homem é mortal por seus temores, e imortal por seus desejos.”
Agora nos meus oitenta anos, vejo-te não um imortal, não, um membro que cumpriu tuas obrigações, mas um traiçoeiro que não esperou meu envelhecimento nas coisas do amor ou melhor, esqueci de te avisar que nós humanos envelhecemos mas não deixamos de amar. Entendo agora que foi sim, um erro de fabricação. Nos fizeram com um cérebro dando ordens ao todo o conjunto vivo, mas tu, que tinha vontade própria não recebeste memória própria, hoje teu envelhecimento não te propicia o entendimento das coisas do amor e do desejo, enquanto meu cérebro alvissareiro continua em verdadeira busca do desejo...Do amor.
Vejo-te, como um inimigo, tu me afastas dos meus sonhos eróticos e traze-me a uma realidade na qual não gostaria de vivenciar. Não devo mais contar contigo, serei criativo, fingirei as coisas do desejo, enganarei o amor. Não sentarei naquelas malditas cadeiras dos imortais, não lerei Aristóteles, camões, fingirei gostar das escritoras Hilda Hilst, Letícia Luccheze e tantas outras que escrevem coisas do amor, erotiza a paixão descrita. Serei falso, serei amante incansável principalmente nas rodas de dominó e baralho. Vê se tu não me atrapalhas quando sentar-me. Eu, fingirei estar morto, e tu fingirás está vivo.


www.brasilsoldaliberdade.blogspot.com                                                            Alberto Ribeiro Filho
albertorf@gmail.com
                                                                     




Nenhum comentário:

Postar um comentário